Sound Branding: 5 maneiras de saber se a sua música se conecta à sua marca by tatiane kindermann

Quando se trata da música no seu negócio, a única pergunta que você deve fazer regularmente é: "minha música soa como minha marca?"

Música que realmente soa e parece com sua marca fortalecerá a experiência do cliente em sua empresa, ajudando você a vender mais agora e no futuro.

Claro, responder se sua música parece ou não com sua marca pode ser puramente subjetivo, e é por isso que listamos 5 sinais reveladores para procurar:

# 1: Seus clientes mostram que eles gostam. Se o fizerem, você os verá balançando a cabeça, batendo os pés, cantando ... você conhece na hora. 

Mas às vezes os sinais de que os clientes gostam da música em seus negócios não são tão óbvios. Às vezes, você precisa se encaixar em outros comportamentos, como por quanto tempo eles permanecem no seu negócio. Uma pesquisa realizada em 2011 pela Heartbeats International mostrou que a música faz com que cerca de 40% dos clientes permaneçam mais tempo em um negócio e que 31% dos clientes provavelmente retornarão a esse negócio no futuro.

Então, o que isso tem a ver com sua marca? É simples. Cada marca possui um cliente ideal, e tocar música atraente em seu negócio é uma parte importante da criação de uma experiência que eles vão querer repetir.

# 2: Empregados que trabalham para sua marca também gostam da música. No mundo real, sempre haverá alguns funcionários que não gostam da música que você toca, e  alguns que realmente a apreciam. Afinal, todos têm preferências musicais diferentes, o que realmente é uma coisa linda.

Mas aproveite um momento para pensar sobre os funcionários que realmente entendem o que é a sua marca. Estas são as pessoas que compram a experiência que você está tentando criar. Você conhece aqueles - os poucos e distantes funcionários que o fazem desejar que você tenha 10 mais deles. Eles parecem que geralmente estão gostando das músicas tocando sobre sua cabeça?

Então, tente tomar conhecimento dos funcionários que realmente "são fiéis" a sua marca. Eles não precisam estar cantando e dançando a música em seu negócio, mas se a vibração se sentir aborrecida está na hora de você dar uma boa olhada na sua programação musical e fazer algumas mudanças.

# 3: A música é uma trilha sonora para a história da sua marca. Quando você se aproxima disso, as músicas devem contar histórias. Se eles são contos de desafios, amor, vitória, etc., todas as músicas retratam uma série significativa de eventos.

E pela mesma medida, todas as marcas têm uma história, e não estamos apenas falando sobre como sua empresa chegou. Na sua história de marca, o cliente é o herói, e suas ofertas trazem a resolução que seu cliente precisa.

Então imagine seu cliente em um filme. Qual a trilha sonora que toca em segundo plano? Ou melhor ainda, basta pensar nos tipos de gêneros que você ouviria nesta trilha sonora. É quando você começará a ter uma visão mais clara do que a sua marca realmente parece. O objetivo é garantir que o tom, a letra e o estilo de música reforcem e apoiem a experiência que você está tentando criar.

# 4: a música é consistente com a experiência. Embora isso possa parecer óbvio, você ficaria surpreso com a quantidade de empresas que perderam esse importante elemento. E todos nós ficamos lá,  no restaurante mexicano que toca Sinatra, ou o varejista feminino high-end, onde algum jovem empregado sabota a música com seu funk favorito ou gum pop.

Confie em nós, seus clientes saberão quando a música não combina com a experiência que você está tentando criar. Então pergunte a si mesmo: a experiência é rápida e emocionante, ou é lenta e pensativa? A energia é motivadora ou relaxante? Sempre considere a energia, o tempo e, claro, o humor que você está despertando na experiência do cliente.

# 5: Sua música está em constante evolução. Embora sua marca nunca se afaste de seus valores fundamentais, ela definitivamente evoluirá tão ligeiramente quanto seus clientes e sua empresa se adaptarem às mudanças das necessidades dos consumidores ao longo do tempo.

Por exemplo, digamos que você tem uma café e, durante anos, seu produto mais vendido foi uma baguete italiana. Mas hoje em dia o seu cliente alvo tornou-se mais consciente da saúde. Eles trocaram o salame por peito de peru de baixo teor de sódio e querem pão integral em vez do pão branco. E com toda a probabilidade, suas preferências de música são diferentes do cliente de antes também.

As necessidades e desejos do consumidor estão constantemente mudando - e os clientes esperam das marcas que eles gostam de seguir o exemplo. Então, se sua trilha sonora não está de acordo com o perfil da sua marca, chegou o momento de repensar e chegar a um especialista.

Aqui na HIGH BRANDS, nos preocupamos com todos os pontos de contato da sua marca com o seu cliente - seja visual, olfativa ou sonora. E temos uma equipe talentosa, que chamamos de Sound Designers com graduação em produção musical para criar playlists personalizadas para seu negócio com valores à partir de apenas R$250,00.

Então, faça sua marca soar bem. Entre em contato!!

ACESSE www.highsenses.co e saiba mais sobre Branding Sensorial.

Abraços,

Tati Kindermann

 

 

It's Ok to Rebrand! by tatiane kindermann

Já falei por aqui sobre alguns motivos para quem pensa em repaginar sua marca. Mas muitas vezes, a insegurança de mudar faz com que os planos de UM REBRAND fiquem para o futuro.

Deixe o medo de lado, é perfeitamente OK e BOM redirecionar sua identidade, especialmente se você sente que precisa mudar a percepção da sua empresa aos olhos de potenciais clientes.

Por exemplo, a tradicional Ford está atualmente passando por um importante projeto de rebranding para competir com empresas modernas de serviços de automóveis como Uber e Lyft. Se você trabalhar o REDESIGN com sensibilidade, você não assustará ninguém: pelo contrário, sua empresa crescerá.

E isso também se aplica a empresas menores: recentemente, um escritório de advocacia de Florianópolis que está em fase de expansão para São Paulo e Brasília nos procurou. Com a entrada em novos mercados, eles sentiram a necessidade de redesenhar sua marca e toda a identidade da empresa. 

O novo projeto desenvolvido aqui na HIGH BRANDS, tem o objetivo de passar o conceito de uma empresa jovem mas ao mesmo tempo séria, transmitindo a credibilidade necessária a seus clientes.

Veja abaixo o antes e depois:

Nova identidade:

Lua de Papel, versão refresh by tatiane kindermann

Como falamos no post anterior muitas vezes é necessário sua marca passar pelo processo de REBRAND. Mas nem sempre este processo implica no redesign da logo. Em alguns casos, dar uma nova cara para sua papelaria e embalagens já dá um refresh para marca. 

Uma de nossas clientes nos procurou justamente com esta expectativa. Dar um ar mais alegre e atual para a identidade da loja Lua de Papel, especializada em produtos para bebês e crianças.

Na primeira embalagem você pode acompanhar o antes e depois.

Ao lado esquerdo a embalagem antiga, do lado direito a nova embalagem já com a identidade que criamos para a Lua de Papel.  

Ao lado esquerdo a embalagem antiga, do lado direito a nova embalagem já com a identidade que criamos para a Lua de Papel.

 

Veja outras peças que compõem a nova identidade da marca:

Sacolas  

Sacolas

 

Adesivo promoção

Adesivo promoção

Sacola plástica

Sacola plástica

Redesign da marca Camila Fraga by tatiane kindermann

A estilista Camila Fraga é nossa cliente desde o começo do seu ateliê. Acompanhamos seu crescimento e 5 anos após seu start, demos início ao processo de redesign da marca.

O estilo da fonte foi mantido, atualizando apenas a fonte serifada e o espaçamento entre as letras. Já o símbolo, que antes representava uma agulha embaixo do nome foi substituído pelo monograma manuscrito, que também representa a agulha no f e a linha que une as letras, mostra a linha de costura.

As cores branco e dourado foram mantidas na identidade visual da papelaria, placa e embalagens.

 

 

Rebranding. Seis motivos para você repensar na sua marca. by tatiane kindermann

Uma marca forte é aquela que evolui e acompanha seu ambiente. 

A maioria das empresas, inevitavelmente, chegam a um ponto em sua vida, onde elas terão que pensar em "REBRAND". Para alguns, isso acontece seis meses após abrir as portas,  quando eles descobrem quem eles realmente são, e para outros, pode acontecer 5 anos depois com a evolução do mercado. 

rebrand.jpg

"Rebrand" consiste em redesenhar e reescrever sua história. Repaginar quem você é e como você deseja ser percebido. Não se trata de criar um novo "logo" da moda para a sua estrutura existente. É sobre cavar mais profundo do que isso e redefinir porque você faz o que você faz. Redesenhar sua marca pode ser uma evolução sutil ou uma revolução dramática, de qualquer forma, o propósito do "rebrand" deve ser a de reconectar com o seu público de uma forma diferente, mais significativa. 

É uma decisão séria e deve ser feita pelas razões certas.

Aqui vão algumas dicas de quando isso deve acontecer:

 01) Sua marca parece algo que sua vó costumava usar

 Se a sua marca faz você se encolher quando você olha para ela, isso é provavelmente um sinal suficiente de alerta para repaginá-la. As tendências vêm e vão, basta perguntar a qualquer blogger de moda - o que estava quente há um ano não e não é mais considerado 'en-vogue'. Pode ter sido a tendência da época, mas talvez a sua marca atual é agora desatualizada e não se adequa ao seu negócio anymore. Pode até ser que no começo do seu negócio a grana era curta e sua marca foi produzida de forma rápida e barata para começar de uma vez, mas agora sua identidade parece desconectada e amadora.

02) Da garagem para o mundo

Muitas vezes um negócio começa na garagem de casa e de repente vira um big business. Antes que o empreendedor se dê conta, já tem um escritório real, com uma equipe gigante e dinheiro entrando a rodo. E a marca? Foi desenhada com cara de empresa de fundo de quintal. Aí ela não se encaixa mais. Talvez, no começo, eles não tivessem a confiança de que sua marca seria uma história de sucesso. Então eles fizeram tudo barato, comissionando o primo do namorado de sua irmã, que uma vez aprendeu a desenhar no corel draw e conseguiu um site de modelo do vizinho. Após alguns anos no negócio, realizam que o flamingo cor-de-rosa pode já não atrair o tipo certo dos clientes que estão esperando. É inevitável que seu negócio vai crescer e mudar, por isso é importante que você seja flexível o suficiente para fazer o mesmo.

03) A sua marca encontrou o GPS para uma nova aventura

Ao longo do tempo, as empresas irão moldar, mover e adaptar-se a novas circunstâncias. Você pode encontrar-se adicionando novos produtos, ajustes de seus serviços, abandonando idéias ruins ou reunindo novos membros da tripulação. Ao longo das voltas de sua viagem de negócios você pode mudar seus objetivos e mudanças de destino. É importante que sua marca se junte a você para abranger a mesma maneira de pensar e de visão.

 04) Está na hora de apertar o botão refresh

 As melhores marcas são aquelas que estão em constante atualização para se manterem frescas e relevantes. Rebrands de sucesso conseguem rejuvenescer e injetar nova vida, enquanto ainda comemoram a história e o patrimônio do negócio. Ao atualizar sua marca, você mostra ao público que está constantemente se adaptando e evoluindo para mudar e, assim, permanecer relevante para os consumidores em um mercado em constante mudança.

 05) Efeito hangover

Muitas vezes, as empresas precisam do rebrand para mudar uma percepção negativa ou imagem do passado - tipo como acordar depois de uma bebedeira para apagar todos os posts da noite anterior. Redesenhar um negócio devido à publicidade negativa não é tarefa fácil, mas 9 vezes em 10 é um processo que vale a pena. Demonstrando ao seu público que você evoluiu e mudou para melhor.

 06) Momento Detox

No processo de crescer e evoluir, uma empresa geralmente adquire uma variedade de diferentes produtos, serviços, valores, mensagens e idéias que se adere à marca como moldes e mudanças. Crescimento orgânico como este pode resultar em um patchwork de desordem de marca incompatível que pode ser complexo e confuso para o público. Neste caso, um rebrand pode agir como um desintoxicação para uma empresa para racionalizar e consolidar a sua estratégia para a futura prova e permitir um crescimento simplificado.

Se alguma coisa neste texto te parece familiar, pode estar na hora de você marcar uma reunião com a gente.

Estamos à disposição para criar do zero sua marca ou repaginar seu negócio!

Abraços,

Tati Kindermann – graphic designer